11 de maio de 2012

Aumenta número de imigrantes que têm status revogado no Canadá

Artigo extraído de OiToronto.ca , por  
Apesar do Canadá estar aberto a receber novos imigrantes, é cada vez maior o número de pessoas que perdem o status de residente permanente por não passar tempo suficiente morando no país. Com o intuito de evitar fraude, o Departamento de Imigraçao e Cidadania do Canadá aumentou a fiscalização nos processos de naturalização.
A colombiana Valentina Suarez imigrou para o Canadá em 2005 com o noivo, Jorge Díaz. Porém, a doença do pai fez com que ela tivesse que retornar no mesmo ano a Cartagena, sua cidade natal, para tomar conta do supermercado da família. Desde então, foram várias idas e vindas, até que ao tentar renovar o seu PR Card (carteira de residente permanente do Canadá) na Colômbia, Valentina foi informada de que havia perdido o seu status de residente permanente do Canadá.
Os oficiais de imigração descobriram que Valentina passou mais de 730 dias fora do Canadá em um período de cinco anos, tempo mínimo exigido para manter a condição de residente permanente. “É muito triste ter que viver longe do meu noivo e da vida que planejamos. Mesmo distante, eu pagava impostos e tinha planos de montar um negócio para mim”, lamenta ela, que pretende reiniciar o processo de imigração após o casamento com Jorge.
De acordo com o Departamento de Imigração e Cidadania do Canadá, só em 2010 cerca de 4600 pessoas perderam o status por não passar tempo suficiente em território canadense. Esse número é quase o triplo dos 1653 imigrantes que tiveram a carteira de residente permanente cancelada em 2006 pelo mesmo motivo.
A quantidade de indivíduos que tiveram status no país revogado começou a aumentar depois de 2003, com a criação do PR Card como documento de viagem obrigatório para todos os imigrantes que ainda não são naturalizados canadenses, e a necessidade de renová-lo a cada cinco anos.
O PR Card também passou a servir para aumentar o controle na fiscalização das aplicações de cidadania canadense, onde uma das exigências é que o aplicante tenha morado como residente permanente no país pelo menos 1095 dias dos últimos quatro anos. A exceção é para quem está fora do Canadá acompanhado do cônjugue canadense ou esteja empregado em período integral em um firma ou instituição governamental do Canadá.
Uma investigação da Canada Border Services Agency (o órgão responsável por fiscalizar as fronteiras do país), em parceria com a RCMP (a Polícia Federal do Canadá), constatou que existe um grande número de consultores de imigração que tentam forjar a permanência do imigrante no país usando recibos de aluguel e contas de luz e telefone. Uma campanha se tornou uma das grandes prioridades do governo federal no combate às fraudes no processo de imigração e cidadania, que inclui uma página na internet com diversas informações sobre como denunciar alguém que tenha cometido fraude.
De acordo Jane Desmond, consultora de imigração da Canadian Legal and Immigration Services, mentir com relação ao tempo de permanência no Canadá é um dos piores erros que alguém pode cometer. “É melhor confessar os motivos reais que a fizeram ficar muito tempo fora do país, apontar as razões pelas quais precisa permanecer no Canadá e esperar a decisão de um juiz de imigração que pode ser favorável ou não. Quando a pessoa mente, há uma probabilidade grande de ser descoberta, mesmo que demore. Nesse caso, tudo fica mais difícil. Muitas pessoas já tiveram a sua cidadania canadense revogada depois que ficou comprovado que elas mentiram durante o processo”, alerta ela.
O tempo mínimo de residência do Canadá é somente obrigatório para residentes permanentes. Cidadãos canadenses que não cometeram fraudes durante o processo de naturalização podem ficar fora do país por tempo indeterminado sem prejudicar o status.
Categories:

3 comentários:

Tania Vianna disse...

Muito bom o post... Espero nunca precisar me ausentar por muito tempo, mesmo sendo filha única... Me preocupa bastante isso...
Abçss

Anônimo disse...

Desculpe, mas o que diz aqui é que o residente permanente deve ficar no Canadá por pelo menos 2 anos (730 dias) a cada período de 5 anos (1825 dias). Ou seja, a Sra. Suarez deve ter ficado fora do país por mais de 3 anos (1095 dias).

No seu texto você escreveu:

"Os oficiais de imigração descobriram que Valentina passou mais de 730 dias fora do Canadá em um período de cinco anos, tempo mínimo exigido para manter a condição de residente permanente."

Mas creio que você quis escrever algo como:

"Os oficiais de imigração descobriram que Valentina passou menos de 730 dias dentro do Canadá em um período de cinco anos, tempo mínimo exigido para manter a condição de residente permanente."

Familia Marcondes disse...

Olá, Anonimo
Gostaria de lembrar que esse texto foi extraído de outro site OiToronto.ca e que não é de minha autoria. É necessário sempre verificar as fontes oficiais para se ter a informação correta sobre imigração.

Abraço,
Fernanda