2 de agosto de 2014

Tentando manter a calma: 30 dias para a mudança!!!

Admito, está difícil manter a calma. A ansiedade está tão grande que me perco andando para um lado e para o outro da casa, sem saber para onde estou indo. Rs

Tudo está em ordem, quase tudo resolvido. Não há mais o que fazer senão esperar o dia do embarque. Então acabo por vertificar todos os dias se tudo está mesmo em ordem, verifico o check list, analiso meus gastos até agora, faço projeção de gastos futuros...

E para me acalmar um pouco começo a pensar em coisinhas que farão parte da minha vida que está para começar em 30 dias. Já me programei para ir no Festival de Folk de Ottawa, ando escolhendo carro no kijiji e até já comecei a escolher as fantasias para o Halloween!!! Ansiosa, eu?!


25 de julho de 2014

Viajando de Toronto para Ottawa

Como nosso plano original era de morar em Toronto, ficando nos primeiros dias na casa de amigos, compramos nossas passagens para lá.

Os planos mudaram e nosso destino agora é Ottawa-Gatineau. Sendo assim, precisamos ir de Toronto para Ottawa, com todas as nossas malas!

Existem algumas opções. Pesquisei e avaliei as seguintes: ônibus, trem, avião e carro.
A primeira opção seria acrescentar mais um trecho em nossa viagem de avião. Porém, iremos pela Copa Airlines, e ela não opera para Ottawa. Então deveríamos comprar passagens de uma nova companhia aérea. Os melhores valores que encontramos foram pela WebJet, por $109,22 por passageiro, um voo de 59 minutos. Mas temos que lembrar de nossas malas. Chegaremos de um voo internacional, onde temos o direito de levar 2 peças grandes de até 32kg. O novo voo é doméstico, então a política de bagagem é diferente, nos dando direito apenas a 2 peças de 23 kg.

Já se optássemos pelo trem, pela Via Rail, pagaríamos um cerca de $50 por pessoa, tendo direito a duas malas médias de 11 kg, viagem com duração de 4h30.

De ônibus, pela Greyhound levaríamos as mesmas 4h30 de viagem mas pagaríamos $30, podendo levar 1 mala grande de até 23kg, pagar $15 para levar uma segunda mala grande de até 23kg por adulto. Cada peça excedente custaria mais $25.

Já indo de carro, precisei considerar a quantidade de malas e a capacidade do carro. Como temos duas crianças, precisaria alugar também cadeirinhas, e um GPS para não nos perdemos. Sendo assim , alugaríamos uma minivan por $250 a diária, mais gasolina.

Tendo tudo isso posto no papel, optei pelo ônibus, pela comodidade de não me preocupar com o percurso, menor custo considerando o valor das passagens mais a capacidade de carregar minhas malas, pagando um preço baixo por cada peça excedente.

Links:
Ônibus: https://www.greyhound.ca
Trem: http://www.viarail.ca/
Carro: https://www.hertz.ca
Avião: www.orbitz.com/flights/

Contratando Seguro Viagem

Olá!
Já postei aqui algumas informações sobre seguro viagem, mas gostaria de compartilhar com vocês como foi que eu contratei o meu plano.

Ouvi muitas pessoas recomendarem a empresa GTA, então fui buscar no Google o site dela. Lá encontrei as informações sobre os planos, incluindo valor. Porém, não é possível comprar um plano diretamente da GTA. É preciso entrar em contato com uma agência que venda o plano deles.

Sendo assim, encontrei algumas agências na internet e solicitei orçamento de várias. Nesse orçamento, elas incluíram outras empresas, além da GTA. Algumas dessas agências entraram em contato comigo por telefone e me passaram informações mais detalhadas de cada plano. Achei interessante poder conversar diretamente com um agente e tirar as dúvidas.

Optamos por ficar com o plano mais básico, uma vez que estamos apertando o orçamento para term uma poupança quando chegarmos no Canadá.

Um detalhe que fez toda a diferença, foi já ter pesquisado os valores no site da GTA. No momento que recebi cotações com as agências, pude argumentar que já havia encontrado preço mais baixo, e detalhar qual plano. Como somos em três, um adulto e duas crianças, há a possibilidade de solicitar um plano familiar, ficando assim:

GTA Plano Bronze
Familiar: 1 adulto + 2 crianças
Plano 90 dias

Adulto - US$ 124,00
Acompanhante (cada) - US$ 93,00

Ainda recebi 15% de desconto da agência por pagar a vista.
Vale ressaltar a importância de informar o destino da viagem. Recebi uma cotação em euros que me assustou bastante, mas era para destino Europa... rs

Links:
GTA: http://www.gtaassist.com.br/sitev2/home/
Agência onde adquiri meu plano: http://www.seguroviagem.com.br/

21 de julho de 2014

Checklist Atualizado

Devo admitir: tem-se muito mais coisas para serem resolvidas antes de embarcar do que parece. Fico feliz de ter optado por ficar em nesses últimos dias de Brasil antes do embarque. Algumas coisas estão resolvidas, outras ainda preciso ver.
  1. Comprar passagens 
  2. Contratar seguro de saúde para os três primeiros meses 
  3. Providenciar todos os documentos da faculdade (diploma, resumo descritivo das disciplinas, carimbados e assinados) 
  4. Atualizar o currúculo/LinkedIn 
  5. Traduzir cartas de referência
  6. Verificar declaração de imposto de renda 
  7. Preparar procurações de ambos poderes em cartório (declaração pública) 
  8. Tirar cópias autenticadas dos documentos mais importantes
  9. Fazer tradução juramentada da carteira de trabalho
  10. Fechar contas bancárias
  11. Fazer check-up médico e odontológico
  12. Solicitar ao médico receita médica (em inglês, se possível) para um ano de anti-concepcionais
  13. Verificar vacinas - transferir-las para um certificado internacional
  14. Pesquisar aluguel 
  15. Desfazer de objetos que não levará 
  16. Preparar documentos escolares dos filhos
  17. Separar dossier médico
  18. Verificar como levar dinheiro 

8 de julho de 2014

Destino definido

Após pensar, analisar, calcular, listar pós e contras, decidimos nosso destino. Mas não foi fácil!!

Tenho uma amiga próxima que mora em Toronto. Como estou indo sozinha com os meninos (explico melhor num post futuro) achei que o melhor seria estar perto de alguém em quem eu confie, no caso de qualquer imprevisto. Cheguei a comprar nossas passagens para Toronto e a combinar nossa estadia para os primeiros dias, entrei em contato com corretores de imóvel, escolas. Mas foi aí que fui obrigada a encarar a realidade: o custo de vida de Toronto é muito alto! Pelo menos para meu bolso.

Resolvi deixar meus olhos de encantamento e reanalisar a opção Toronto:

Minha amiga não vive na cidade de Toronto, mas sim em Richmond Hill. Então ou eu moraria perto dela e teria dificuldade de locomoção para o centro de Toronto ou eu moraria em downtown e ficaria longe da ajuda dessa amiga.

Se a opção é morar no centro, os valores de aluguel em regiões próximas ao metro começam em CAD$1400, apartamento de um dormitório.

Como meu filho mais novo ainda tem 3 anos, eu dependeria de daycare full time. Os valores mensais para daycare ficam entre CAD$1000 e CAD$1200 (cerca de CAD$50 por dia!)

Esses valores fizeram me coçar. Lembrei de Gatineau, minha cidade destino original, e resolvi comparar:

Aluguel de apartamento de 1 dormitório em Gatineau CAD$750 - CAD$800
Garderie (equivalente a daycare) uma amiga me disse pagar CAD$600, mas o governo subsidia chegando a CAD$7 por dia !

Então eu economizaria por mês CAS$600 em aluguel e CAD$600 em daycare, ou seja, CAD$1200 economizados por mês, valor que fará muita diferença nos primeiros meses.

Devo admitir que a possibilidade de trabalhar em inglês em Toronto era um fator que me fazia sentir mais segura quanto a conseguir emprego, mas eis que Gatineau também tem essa vantagem, por estar a poucos minutos de distância de Ottawa é completamente viável viver em Gatineau e trabalhar na anglófona Ottawa.

Posto tudo isso, entrei em contato com minha amiga Paty (do blog Patitando) e ela me contou sua visão de Gatineau, já que mora lá há alguns anos. Senti que fiz a decisão certa e inclusive fechei o aluguel de um apartamento!

Agora estou estudando a melhor forma de ir de Toronto para Ottawa com 6 malas grandes e 3 bagagens de mão. Assunto que dará um novo post.

7 de julho de 2014

Escola no Quebec


A educação é uma prioridade para Québec. O ensino quebequense, que é de elevadíssima qualidade, está estruturado em quatro níveis, a saber:

  • o "primaire" (cujos alunos têm em média de 6 a 11 anos de idade), 
  • o "secondaire" (de 12 a 14 anos), 
  • o "collégial" (de 17 a 18 anos) 
  • e o "universitaire" (a partir dos 18 anos). 
O ensino público no Québec é gratuito a partir do "primaire" até a conclusão do o "collégial".

Sistema de ensino

Québec oferece um notório sistema de ensino e diplomas reconhecidos internacionalmente, conforme comprovado pela sua liderança na classificação mundial da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômicos (OCDE).

O sistema de ensino público está estabelecido em uma base linguística, francófona e anglófona, conforme a língua de ensino utilizada nas escolas. Como o francês é a língua oficial do Québec, os filhos de imigrantes, independente de sua língua materna, devem normalmente frequentar uma instituição da Secretaria de Ensino Francófona de seu local de residência até a conclusão do ensino “secondaire”. Para esses estudantes, a escola representa um local de integração tanto através da aprendizagem do francês como pela descoberta da cultura quebequense.

Moldura
moldura
Moldura
DURAÇÃO DOS ESTUDOS
Nível de estudosNúmero de anos
Préscolaire (Ensino fundamental)1 a 2 anos
Primaire (Ensino fundamental)6 anos
Secondaire (Ensino fundamental)5 an0s
Collégial (CÉGEP) (Ensino técnico e pré-universitário)2 a 3 anos
Universitaire (Ensino superior – Bacharelado ou licenciatura)3 a 4 anos
Universitaire (Ensino superior – Mestrado)2 anos
Universitaire (Ensino superior – Doutorado)3 anos ou mais
Moldura
moldura
Moldura

Público x particular

No Québec, a classe estudantil pode frequentar o ensino público ou o particular.

O ensino público é gratuito e sem despesas adicionais. Fica fácil para você, então, calcular a parcela do orçamento da sua família que deve ser atribuída à educação de seus filhos.

A rede de instituições de ensino particular é reconhecida pelo Ministère de l’Éducation, du Loisir et du Sport (Ministério da Educação, do Lazer e do Esporte). Essas instituições também oferecem programas de estudos oficiais do governo. No entanto, para frequentá-las é preciso pagar taxas de inscrição, admissão ou matrículas e mensalidades, além de respeitar condições de admissão peculiares a cada instituição.

A melhor maneira de optar pelo que existe de mais apropriado é visitar várias escolas e escolher aquela que oferece, baseado em seus próprios critérios, o melhor ensino para seu filho.

Primaire e secondaire

Educação infantil
A educação infantil (“maternelle”) prepara o aluno para os primeiros anos do “primaire”, proporcionando-lhe oportunidades de beneficiar de um enquadramento que favoreça seu desenvolvimento, de familiarizar-se progressivamente com um ambiente de aprendizagem motivante e de adquirir habilidades que facilitem seu aproveitamento acadêmico. Embora a educação infantil não seja obrigatória, a grande maioria das crianças dentro da faixa etária de admissibilidade encontra-se nela matriculada.
Ensino “primaire” (alunos de 6 a 11 anos de idade)
Que a criança tenha ou não frequentado a educação infantil, todas elas ao completarem 6 anos de idade são obrigadas a se matricular no “primaire”. O ensino “primaire” tem uma duração de 6 anos. O programa de formação “primaire” está dividido em 3 ciclos de 2 anos cada e são oferecidos serviços para alunos com dificuldades de aprendizagem.
Ensino “secondaire” (alunos de 12 a 14 anos de idade): formação geral
O aproveitamento acadêmico no ensino “secondaire” tem uma duração de cinco anos e leva o aluno à obtenção de um Diplôme d’études secondaires - DES (Diploma de Estudos “Secondaires”), dando-lhe acesso ao nível de ensino subsequente. O primeiro ciclo do ensino “secondaire”, que corresponde aos três primeiros anos desse nível, concentra-se em um programa básico de formação geral. O segundo ciclo permite que o aluno conclua em dois anos sua formação geral e, concomitantemente, explore, graças a um sistema de disciplinas opcionais, diversas vias, antes de ingressar no ensino “collégial” ou então que o aluno adquira uma formação profissional que o leve ao exercício de um ofício.
Ensino “secondaire” (alunos de 15 a 16 anos de idade): formação profissional
Os programas de formação profissional conduzem ao exercício de ofícios especializados e semi-especializados. Esses programas possibilitam a obtenção ou de Diplôme d’études professionnelles – DEP (Diploma de Estudos Profissionais), ou de Attestation de spécialisation professionnelle – ASP(Certificado de Especialização Profissional), ou de Attestation de formation professionnelle – AFP(Certificado de Formação Profissional). Os pré-requisitos de admissão para cada programa de estudos profisssionais são distintos. Conforme o programa escolhido, a duração do programa é de 1 a 2 anos.


CEGEP e Université

No sistema de ensino quebequense, o “collégial” é o degrau dos estudos superiores. Para nele ser admitido, é preciso ser titular de um Diplôme d’études secondaires – DES (Diploma de Estudos Fundamentais) ou de um Diplôme d’études professionnelles – DEP (Diploma de Estudos Profissionais). As instituições de ensino denominadas Collège d'enseignement général et professionnel – CEGEP (Colégio de Nível Técnico e Pré-Universitário) e alguns colégios privados oferecem aos estudantes as seguintes opções:

  • Programas de estudos pré-universitários com duração de dois anos preparatórios ao ensino superior; 
  • Programas de estudos técnicos com duração de três anos que habilitam o titular do diploma a empregos de técnicos ou tecnólogos. A formação técnica pode também, mediante certas condições, dar acesso ao ensino superior.
Alguns CEGEPs oferecem também um programa de bacharelado internacional. Existe uma grande variedade de programas de estudos técnicos e tais programas estão distribuídos em cinco áreas:
  • Técnicas biológicas, 
  • Técnicas físicas, 
  • Técnicas humanas, 
  • Técnicas administrattivas e artes.

Ensino superior

Os cursos de graduação são o segundo degrau dos estudos superiores. A duração dos cursos de graduação varia conforme a disciplina e da modalidade cursada.

Québec tem muitas univesidades, escolas superiores e institutos de pesquisa localizados principalmente nas cidades de Montreal, Québec e Sherbrooke. O acesso ao ensino superior também é possível na maioria das regiões graças à rede universitária composta da Université du Québec, localizada em Rouyn-Noranda, Saguenay, Gatineau, Rimouski e Trois-Rivières, e também graças à Télé-université.

Idade e equivalências


Para saber quais são as equivalências de seus diplomas, o governo criou a Évaluation comparative des études effectuées hors du Québec (Avaliação Comparativa de Estudos Efetuados no Exterior do Québec), um documento que indica a correspondência existente entre seus estudos concluídos no exterior do Québec e o sistema de ensino quebequense com seus principais diplomas.


3 de julho de 2014

Educação Infantil em Toronto

Comecei a pesquisar sobre escolas para os meninos, sabendo que meu mais velho está em idade escolar (8 anos), já tinha noção de que precisaria pagar pela escola do mais novo (3 anos) até que tivesse idade para entrar numa escola pública.

A minha expectativa era ter que pagar cerca de $20 por dia, ou $400 por mês. Para meu espanto, minha noção de valores estava bem, mas BEM errada. Segundo o site oficial o custo de uma diária na escola para meu filho mais novo seria de $56, ou cerca de $1200 por mês!!! Pasmei! E meu orçamento para os primeiros meses desmoronou!

Uma vez com essa informação chocante, na minha opinião, fui atrás de mais informação. Encontrei o seguinte artigo escrito por  no Oi Toronto, com um grande detalhamento do  funcionamento do sistema de creche de Toronto. Vale a leitura.

Como escolher um Day Care em Toronto

Quem tem filhos pequenos sabe a preocupação que é deixá-los nas mãos de outra pessoa. Se você está nessa situação, saiba como funcionam os programas de day care e conheça as dicas sobre como procurar um lugar legal para seu pimpolho!
Os pais sempre querem o melhor para seus filhos e isso vale também para a escolha da escolinha. Por isso, é importante pesquisar bastante antes de se decidir e começar a procurar cedo, mas cedo mesmo!

Problemas do sistema

De acordo com uma pesquisa do grupo Mothers for Child Care, feita com quase 800 mães em Toronto, as maiores preocupações na hora de escolher um day care são: qualidade, localização e preço, como é mencionado em reportagem do Metro News.
A pesquisa também aponta a dificuldade de se conseguir vagas em locais licenciados. Vale lembrar que locais não-licenciados não são ilegais nem proibidos, porém não são supervisionados pela prefeitura, então não são obrigados a seguir padrões e normas para funcionar. Assim, a falta de locais licenciados obriga os pais a entrarem em diversas listas de espera e terem que pagar para entrar em cada lista. Isso porque, segundo dados do departamento Children’s Service, os programas de day care que existem em Toronto atendem a apenas 21% das crianças de 0 a 9 anos que vivem aqui.
Finuzza Mongiovi Baracuhy, que veio de João Pessoa há quase cinco anos e mora em Brampton, teve sorte com o day care de seu filho Luigi, hoje com seis anos: “Eu consegui vaga logo. Olhei em julho e ele entrou em setembro. Mas acho que eu consegui porque era full time, se fosse part time ia ser mais difícil”.
Outro problema é que o valor de um day care licenciado pode ser tão alto (de $800 a $1,900 mensais) que algumas famílias precisam recorrer a locais não-licenciados, contratar babás ou pedir ajuda de parentes.
Maria Eugênia Jardim, carioca que trabalha na UofT há sete anos e dá palestras sobre childcare, comenta: “Famílias mais jovens, que não ganham tanto e não conseguem se qualificar para receber subsídios, muitas vezes têm que recorrer a opções de cuidado de suas crianças que estão longes do ideal! Por aí a gente já percebe que a tarefa de conseguir vaga em um day care pode não ser tão fácil!

Níveis

O sistema de educação infantil em Toronto tem níveis de acordo com a idade da criança:
  • infant, que vai de 0 a 18 meses;
  • toddler, que vai de 18 meses a 2,5 anos;
  • preschool, que vai de 2,5 anos a 5 anos;
  • e school age, que vai dos 6 aos 12 anos.
O preschool se divide ainda em junior kindergarten, para crianças com 4 anos, e senior kindergarten, para crianças com 5 anos. Já o programa school age normalmente é oferecido antes e depois do horário escolar regular, pois é para crianças que já frequentam a elementary school.
Mas Maria Eugênia Jardim nos lembra que nem todos os locais oferecem todos os níveis: “Alguns day care oferecem classes para todas as idades, outros só para crianças em idade escolar, outros até 5 anos”. Por isso, é importante pesquisar primeiro os locais que oferecem o nível que você quer.

Locais

O day care pode ser oferecido tanto em child care centres, que são as creches, como também em home child care, que são casas de pessoas licenciadas para cuidar de várias crianças e estão ligadas a uma agência. A província de Ontário estabelece padrões de segurança, nutrição, atividades e funcionários, entre outras coisas, que devem ser seguidos para que uma creche ou uma casa funcione como day care.
Esses padrões são estabelecidos pela lei DNA (Day Nurseries Act). Quando for procurar um desses locais, peça para ver a licença do governo, e se ela for de cor amarela quer dizer que a licença é provisória e que o day care tem um tempo determinado para regularizar algum item que está fora do padrão. Fique de olho no que está sendo feito para a correção do problema!
Para procurar locais licenciados, você pode usar o Child Care Locator, de Toronto, ou o Licensed Child Care, de Ontário. Maria Eugênia Jardim ainda aconselha: “Depois que você tiver a lista das creches, ponha seu nome ou o nome da sua criança em todas – quanto mais, mais chances de uma vaga aparecer. E isso já quando souber que está grávida! Também pergunte sempre o que tem que fazer para manter o seu nome na lista”.

Co-op Schools

As co-op schools, também chamadas de Co-operative ou Community Nursery Schools, são organizações sem fins lucrativos mantidas e organizadas pelos pais, que exercem funções administrativas dentro da escola e contratam professores para as funções educativas. A brasileira Luciana Castello Branco, cujo filho Philip, de três anos, estuda em uma co-op school, explica que a escola conta com a ajuda dos pais em áreas como marketing, limpeza e assistência à professora na sala de aula, caso haja muitos alunos.
Há uma diretoria que também é formada por pais e todos se organizam para realizar eventos como fundraising, garage sale e outras formas de arrecadar dinheiro para a escola. Luciana nos conta: “Minha função era de enviar e-mails para as mães da turma do Philip passando os comunicados da professora”. Ela ainda acrescenta que, quando os pais ajudam de alguma forma, a escola fica mais barata, mas caso os pais não se interessem em ajudar, então pagam mais caro.
Para Luciana, além do preço, o grande benefício da co-op school é que os pais podem acompanhar de perto as atividades na escolinha do filho. Maria Eugênia Jardim também lembra que outra vantagem de locais sem fins lucrativos é saber que “o dinheiro que sobra vai para o aprimoramento do profissional, para repor equipamentos danificados, para reformas do prédio, móveis apropriados para crianças, etc”.
Vale lembrar que, por razões de segurança, todos os pais e mães que têm alguma função nesse tipo de escola precisam apresentar a certidão negativa de antecedentes criminais da polícia e as mães têm que ser vacinadas.
Você pode verificar a localização das co-op schools disponíveis em Ontário no sitePCPC (Parent Co-operative Preschool Corporation).

Profissionais

Todo child care centre tem pelo menos três tipos de profissionais: um supervisor, um professor por nível com título ECE (Early Childhood Educator) obtido em um college ou universidade, e assistentes. Já as agências que coordenam o trabalho do home day care devem ter um supervisor, um visitante a cada três meses para verificar se os padrões estão sendo seguidos e a pessoa que cuida das crianças (home child care provider). Essa pessoa, que não precisa ter formação profissional, pode cuidar de, no máximo, cinco crianças, incluindo seus próprios filhos. Já nas co-op schools, além dos professores, os pais também participam das atividades da escola.

Preços

Existem alguns tipos de day care: particular, municipal, misto (que tem contrato com o governo para receber auxílio financeiro, o fee subsidy) e cooperative ou co-op school (que é mantido pelos pais). Mesmo o day care municipal é pago e não é barato! Você pode verificar os preços deles no site do MCCS (Municipal Child Care Services).
Maria Eugênia Jardim explica que “as creches são administradas separada e diferentemente, e cada uma define quanto vai cobrar. O preço não depende do bairro e sim da administração, e o mantenedor (operador) do day care pode ser uma companhia que visa lucro, uma entidade sem fins lucrativos ou uma pessoa”. Quanto ao day care misto, ela continua: “Para que um day care tenha vagas subsidiadas, ele tem que assinar um acordo com o governo, e então o pagamento vai direto do governo municipal para o day care”.
Segundo Valquíria Cuizzi, brasileira que trabalha em um day care em Mississauga, “para trabalhar em um home day care a pessoa responsável pelas crianças não precisa ter formação profissional, então normalmente custa um pouquinho mais barato que um day care centre.” Além disso, Daniela Castro, paulistana formada em ECE (Early Childhood Education) no Canadá e que trabalha há quase um ano em day care, explica que “o preço varia também com a idade ou nível em que a criança está, sendo que infants são mais caros e preschoolers mais baratos (ou menos caros!)”.

Fee Subsidy

Para se candidatar a uma vaga subsidiada em day care, os pais devem fazer um cadastro e comprovar, com a declaração de imposto de renda, que a família tem baixa renda. De acordo com isso e com o número de pessoas na família, o subsídio pode ser parcial ou total. Além disso, os dois pais têm que estar trabalhando ou estudando, ou seja, é absolutamente necessário para aquela família que a criança fique na creche. Valquíria Cuizzi comenta que para receber o auxílio “há uma grande fila de espera e pode levar anos até conseguir uma vaga. Se tiver sorte, pode conseguir rapidamente”. Isso é explicado pelos dados do Toronto Children’s Services, segundo o qual havia mais de 17 mil crianças na lista de espera para o fee subsidy em janeiro desse ano, já que os recursos disponíveis atendem a apenas 28% das crianças em famílias de baixa renda.
Por isso, Maria Eugênia Jardim conta que, em suas palestras sobre childcare na UofT, “aconselhamos a adicionar o nome na lista assim que a pessoa souber que está grávida! Você pode colocar uma data a partir da qual vai precisar do subsídio, como por exemplo quando voltar da licença maternidade. Quando o seu nome estiver no topo da lista, eles telefonam e chamam para uma entrevista, e então vão checar a sua situação e definir se naquele momento você se qualifica para o subsídio. Se estiver tudo certo, eles te dão 30 dias para achar uma vaga subsidiada”.
É importante saber que depois que se consegue o subsídio, a criança pode mudar de day care se o outro lugar também tiver vagas subsidiadas. Para quem quiser se cadastrar e entrar na fila para receber o fee subsidy, entre no site do Toronto Children’s Services ou ligue no 311.
Independentemente do fee subsidy, há também o Universal Child Care Benefit, que concede às famílias com crianças até 6 anos C$100 por mês por criança do governo canadense para auxiliar nos gastos com day care.

Diferencial

Alguns locais oferecem atividades ou equipamentos extras que podem ser um atrativo para os pais. O filho de Luciana Castello Branco, frequentou um day care centre que a deixou satisfeita por ter um grande diferencial: “Tinha câmera, então meus pais do Brasil podiam ver o neto pela internet a qualquer hora. Meu pai até viu o Philip dar os primeiros passinhos online”. Já Daniela Castro conta que “muitos centros introduzem a liguagem de surdo-mudo, principalmente com os menores, para facilitar a comunicação. Nos níveis iniciais, é muito mais fácil a criança se expressar através de gestos, já que ainda não tem vocabulário”. A brasiliense Ana Paula Gueiros, que mora em Toronto há quase dois anos, também está satisfeita com o day care de seu filho Davi, de 4 anos: “A cada semana um tema é trabalhado. Por exemplo, teve uma semana que o tema era segurança e um policial da região foi à escola para falar com as crianças. Depois eles fizeram um passeio no carro de polícia com as crianças e elas ficaram super felizes”!

Qualidade

Essa talvez seja a parte mais difícil da escolha de um day care porque, de acordo com Maria Eugênia Jardim, “especialmente na primeira vez os pais não sabem muito bem em que prestar atenção e o que exigir”.
Por isso, é importante saber que a avaliação de cada day care licenciado é feita pela equipe do programa municipal ELC (Early Learning and Care), que utiliza um documento com critérios bem específicos para verificar se o local está seguindo os padrões exigidos pela província. Esse documento, o Toronto Operating Criteria, fica disponível a todos, inclusive aos pais, e serve para orientar como deve ser um programa de qualidade. Para saber o ranking de avaliação de um day care, procure o nome do local no Child Care Finder e selecione a opção Ratings.
Além disso, você pode contar também com as dicas de quem conhece o assunto. Daniela Castro dá um conselho importante: “Os pais devem fazer visitas aos locais para ver se o day care oferece aquilo que eles esperam, e também conversar com outros pais. Na minha opinião a ‘propaganda boca-a-boca’ funciona melhor do que qualquer pesquisa”.
Ana Paula Gueiros também acrescenta: “Depois que seu filho passar a frequentar o day care, você deve observar o comportamento dele, se ele está gostando de ir, fazer perguntas sobre os professores e amiguinhos. Se tudo estiver certo, você saberá que fez a escolha certa”. E Maria Eugênia Jardim concorda: “É importante pensar que o trabalho dos pais de ficar de olho em tudo não acaba no dia em que conseguem uma vaga no day care, mas é trabalho sem fim, vão ter que estar sempre observando a própria criança, o lugar, e dessa maneira contribuir para aquele espaço ser o melhor possível”. Ela finaliza: “O mais importante de avaliar é a pessoa que vai cuidar diretamente do seu filho, seja a professora da creche, a cuidadora da creche caseira, ou a babysitter que você vai contratar. Ela é quem vai ser a sua parceira na educação do seu filho”.
Por fim, há ainda o guia do Toronto Children’s Services, o site da província deOntário, e o guia da Canadian Child Care Federation, que dão orientações importantes aos pais e fornecem checklists do que observar e o que perguntar em uma visita, como preparar seu filho para o início em um novo local e quais são as responsabilidades dos pais para garantir à criança a melhor experiência possível no day care. Afinal de contas, é isso que você quer para o seu filhote, não é?

1 de julho de 2014

Escola no Canadá: como funciona

por 



No Canadá, quem administra o ensino fundamental (chamado de elementary school) e o ensino médio (chamado de secondary school ou simplesmente high school) é o governo provincial, e portanto o sistema educacional varia de província para província. As informações deste artigo se referem a Ontário.

Brasil x Canadá: diferenças básicas

elementary school é cursada por alunos de 6 a 14 anos (do grade 1 ao grade 8), enquanto a high school é cursada por alunos de 14 a 18 anos (do grade 9 aograde 12). Diferentemente do Brasil, o ano letivo no Canadá vai de setembro a junho, pois as férias de verão são nos meses de julho e agosto. Há também umWinter break (recesso de inverno) de duas ou três semanas em dezembro, popularmente chamado de Christmas break (recesso de Natal), e um Spring break(recesso de primavera) de uma semana em março.
Outra importante diferença é que alunos de elementary e high schools ficam na escola em período integral, do início da manhã até o meio da tarde. Menos de 10% dos estudantes canadenses estudam em escolas particulares, pois são caríssimas, e as escolas públicas são de altíssima qualidade. A maioria das escolas religiosas são católicas. É importante notar que apesar de ambas serem públicas (tantos as escolas religiosas quanto as não-religiosas), as escolas não-religiosas são chamadas de public schools, enquanto as católicas são chamadas de Catholic schools.  Ensino religioso obrigatório, prática de costumes como orações no dia a dia, além de retiros religiosos e missas são o que diferem as Catholic schools daspublic schools. O uso de uniforme é obrigatório apenas em Catholic high schools, e pode custar entre C$300 e C$500 por ano. As demais escolas não exigem uniformes.

Quem administra?

Diferentes district school boards administram as escolas nas várias cidades e regiões. Em Toronto, o Toronto District School Board cuida das public elementary ehigh schools enquanto o Toronto Catholic District School Board cuida das Catholic elementary e high schools. Na Greater Toronto Area (Grande Toronto) o Peel District School Board cuida das public elementary e high schools enquanto oDufferin-Peel Catholic District School Board cuida das Catholic elementary high schools. É através desses centros que a matrícula dos alunos é feita. Para saber como funciona o procedimento para matricular seu filho, veja este outro artigo doOiToronto.

Quanto custa?

Para o aluno que não é cidadão canadense ou permanent resident e não está em um processo de imigração durante o período de estudo, o ano letivo custa C$12,5 mil em elementary schools e C$14 mil em high schools. Livros e transporte escolar estão incluídos no valor. Para os demais alunos este custo é subsidiado pelo governo, também com direito a livros e transporte. O único custo para o aluno, então, é com o material escolar (mochila, lápis, caneta etc), com o uniforme (caso estude em uma Catholic high school) e com alimentação. Geralmente o aluno estuda na escola mais próxima de seu endereço residencial, como determinado pelo district school board da região.

Formação crítica

Em geral, a linha pedagógica de elementary e high schools é mais liberal que no Brasil e há grande incentivo para que o aluno participe de algumas das atividades extracurriculares que a escola oferece. É por isso que muitos estudantes brasileiros que tiveram toda a base educacional no Brasil e vieram para o Canadá já na 8ª série (ou grade 8), ou completaram o ensino médio aqui (com a conclusão do grade12), têm facilidade com as matérias e os métodos de avaliação.
Enquanto no Brasil há uma ênfase em preparar o aluno para que ele se saia bem em provas como vestibulares (para o eventual sucesso no mundo profissional), aqui o foco é em preparar o aluno para que ele tenha, de certa forma, um olhar crítico para diferentes questões. O ambiente de ensino,  então, é menos rigoroso, digamos, do que no Brasil. Cada vez mais, especialistas têm incentivado filosofias de ensino como essa, pois, segundo eles, é o desenvolvimento da tolerância para com diferentes culturas, da criatividade e da habilidade de se expressar que melhor prepara o aluno para uma formação cidadã e para a era da informação.

Estudo direcionado: o aluno escolhe o nível

Até os grades 9 e 10 da high school, o aluno tem contato obrigatório com todas as matérias tradicionais, como História, Geografia, Matemática, Física, Química, etc, e a partir do grade 11 o conteúdo programático passa a focar em áreas de sua preferência. O aluno pode, por exemplo, escolher focar em humanidades ou Ciências Sociais a Matemática, Ciências e Artes. Ou qualquer outra combinação entre essas matérias.
O aluno tem liberdade também para escolher o nível (level) de dificuldade e intensidade das matérias que cursará em seus últimos anos de high school. Há essencialmente dois níveis: university level e college level. Como os nomes indicam, as matérias, dependendo do nível, prepararão o aluno para estudos ou em umauniversity ou em um college. Portanto, se o aluno gostaria de cursar Psicologia em um university, por exemplo, ele precisa saber quais matérias de high school a universidade pede para que ele possa ingressar no curso desejado. Nesse caso, o aluno precisaria focar em Ciências, Matemática e Inglês, todos no university level.
Por outro lado, se o aluno pretende cursar Design em um college, ele então precisaria focar em Matemática e Artes no college level. Isso porque para entrar emuniversities e colleges no Canadá não há uma prova como o vestibular no Brasil. As instituições recorrem ao histórico escolar do aluno para decidir se o aluno merece ou não a vaga desejada. A vantagem desse método é que o aluno não precisa ir bem em uma só prova para chegar ao curso e instituição pela qual tem preferência. E a desvatagem é que já no grade 11, aos 16 anos, o aluno tem de ter uma boa ideia do que vai querer fazer assim que concluir a high school, já que precisa escolher as matérias específicas e o nível correto a que vai se dedicar.
Há também programas técnicos em high schools, chamados de co-op, em que o aluno adquire experiência prática profissional para que tenha alguma especialização prática ao se formar da high school, o que facilita a procura de um emprego.

French Immersion

Estudar francês é obrigatório em elementary e high schools, já que é um dos idiomas oficiais do Canadá. Em Ontário há também escolas chamadas de French immersion schools, onde o idioma de instrução é o francês.
Uma curiosidade é que, além de  ter que atingir certa nota em uma prova de alfabetização, alunos de high school precisam completar 40 horas de serviço comunitário para que possam obter o Ontario Secondary School Diploma. Mais um exemplo de como o sistema educacional canadense visa formar cidadãos.

E se meu filho não falar inglês?

Uma das preocupações mais frequentes entre pais que pretendem imigrar com seus filhos ou enviá-los para fazer intercâmbio, é a dificuldade que eles terão em aprender as diferentes matérias e acompanhar os demais alunos enquanto estiverem ainda aprendendo o inglês. Embora seja verdade que para cursar a high school é ideal que o aluno tenha pelo menos alguma proficiência no inglês, (já que as matérias que cursar e as notas que atingir o permitirão ingressar em diferentescolleges e universities), o aluno de elementary school não precisa saber falar inglês. Isso porque na elementary school coordenadores e professores são bastante flexíveis e prestativos aos alunos que falam pouco ou não falam inglês.
Muitas vezes esses alunos têm atividades especiais para ajudá-los no desenvolvimento do idioma e os critérios das notas não são os mesmos dos outros estudantes, pelo menos não até que o aluno tenha um certo domínio sobre o idioma.
Isso sem contar o fato de que até os 13 anos crianças estão naturalmente predispostas a aprender novos idiomas. As amizades feitas na escola também contribuem para o aprendizado, já que o aluno está exposto ao inglês praticamente 100% do tempo. Na maioria das vezes, um aluno que entra na elementary schoolsem saber falar inglês, adquire fluência no idioma entre seis meses e um ano.

Mente aberta

Estudos mostram que crianças que cursam o ensino fundamental e médio em um idioma estrangeiro têm a mente mais aberta em relação a assuntos como a diversidade cultural. Portanto, o aprendizado de uma nova língua nessas circunstâncias não só garante a fluência no idioma, mas também torna os alunos mais reflexivos.

É verdade também que os idiomas que falamos mudam a maneira que pensamos e até vemos o mundo. Por esse e muitos outros motivos, pais procuram cada vez mais colocar seus filhos em intercâmbios culturais. Portanto, os pais não devem ficar apreensivos ao imigrar com seus filhos. Ainda mais para uma cidade como Toronto, onde o sistema de educação visa formar verdadeiros cidadãos.

30 de junho de 2014

Busca de empregos - Sites de busca

Sites de emprego podem ser úteis para quem procura por um bom trabalho

por Marcio Rollemberg
11 fev 2013 - Post atualizado em: 2 abr 2013

[EXTRAÍDO DO SITE OITORONTO.CA] Encontrar um bom emprego no Canadá é um dos grandes desafios enfrentados por imigrantes e estudantes internacionais no país. A internet se tornou ferramenta indispensável na busca por oportunidades de trabalho, com uma grande quantidade de sites que oferecem vagas em diferentes áreas. Porém, nem todos eles são eficientes quanto à boa oferta de emprego.
Uma série de fatores é levada em consideração pelas empresas canadenses na hora de contratar um profissional. O domínio do idioma e a experiência no mercado de trabalho são fundamentais, mas o networking continua sendo a forma mais fácil e rápida de conseguir o emprego desejado.
“O processo para contratar um funcionário envolve análise do currículo e entrevistas com uma grande quantidade de candidatos para a vaga, o que custa tempo e dinheiro para as empresas. O mais frustrante é que diversas vezes o contratado não atinge as expectativas, o que faz com que todo o esforço em achar um bom profissional tenha sido em vão”, diz a especialista em Recursos Humanos, Paula Lessa. “Esse fato faz com que uma grande parte das vagas para um bom emprego não seja anunciada. Geralmente elas são preenchidas por profissionais indicados por bons funcionários que já trabalham na empresa”.
Para quem acabou de chegar no Canadá e ainda não teve tempo de conhecer pessoas no ramo profissional, a melhor opção talvez seja consultar a internet. Como existe uma grande quantidade de sites de emprego, é preciso que o interessado foque naqueles que mais atendem as suas necessidades. O OiToronto traz a lista dos mais populares.
  • Service Canada Job Bank- É um excelente site de busca por empregos e muito fácil de usar. O interessado pode criar um perfil, que permite que o mesmo receba alertas cada vez que uma vaga de emprego corresponder ao tipo de trabalho procurado. Novas vagas são adicionadas diariamente por algumas das melhores empresas do país, e a procura pode ser filtrada por campo profissional, meio período ou período integral.
  • Workopolis- Esse site é bastante popular no país, e reúne uma grande quantidade de ofertas de emprego em excelentes empresas, boa parte delas reconhecidas pelo público geral. O candidato tem a opção de publicar o currículo e a carta de apresentação no site, o que permite ser contatado pelas companhias interessadas.  A ferramenta de busca possibilita encontrar empregos em áreas como contabilidade, engenharia, saúde e serviço ao consumidor.
  • Torontojobs.ca- O site permite que o usuário procure por empregos baseado na expectativa salarial. É possível obter informações detalhadas sobre a empresa para qual o interessado deseja trabalhar e traz uma série de artigos sobre networking, currículos e dicas para uma boa entrevista de emprego.
  • Goodwork Canada- Ideal para quem procura por empregos ligados ao meio ambiente. É possível filtrar por categorias como agricultura sustentável, ecoturismo ou mudança climática. O site também oferece uma lista de oportunidades para quem quer trabalhar como voluntário no ramo ambiental.
  • Work in Culture- É o site para quem procura emprego no ramo das artes. Existem vagas para atores, músicos, comediantes, artistas plásticos e outras áreas ligadas à cultura. Boa parte das vagas oferecidas é em festivais que ocorrem na Grande Toronto.
  • Monster- Esse é um outro site bastante popular no Canadá, trazendo também um série de empresas reconhecidas. Bastante fácil de usar, a ferramenta de busca traz informações sobre salário e benefícios e permite o usuário pesquisar por categoria, local ou empresa.
  • Craigslist- O site oferece uma série de vagas em diversas áreas, mas o destaque aqui é para quem procura por emprego em hospitalidade, principalmente em restaurantes e bares. É importante ressaltar que o Craigslist tem a reputação de ser um site onde o usuário pode encontrar o melhor e o pior em todas as categorias, por isso é bom tomar cuidado. Vários anúncios são verdadeiros golpes. Procure por aqueles que mencionam o nome da empresa ou endereço e telefone de contato.

Check list - Seguro Viagem

Dependendo para qual província você decide se mudar, você poderá ter que esperar um período antes de poder usar o serviço de saúde pública canadense. Durante esse período sem cobertura, você deve contratar um seguro de saúde privado.

Existem algumas empresas que oferecem esse serviço no Brasil. Você pode solicitar cotações online para comparar a cobertura de cada uma delas.

O site Canadá para Brasileiros preparou algumas dicas para quem pretende contratar um seguro viagem:

Dica 1 – Compre seu seguro somente depois de tirar o visto canadense. Muitos seguros não são reembolsáveis em caso de visto negado ou mesmo em cancelamento da viagem.

Dica 2 – quando for escolher seu seguro, verifique na apólice qual é o grau de cobertura e como é feito o pagamento em caso de uma emergência médica. Há seguros em que você precisa primeiro pagar pelo serviço para depois ser reembolsado pela seguradora.

Dica 3 – fique atento ao preço do seguro. Em média, a maior parte dos seguros de emergência médica internacional custa CA$ 2 por dia de cobertura, o que dá cerca de 120 reais por mês.

Dica 4 – se você está vindo para o Canadá com visto de estudante (Study Permit) ou para trabalhar (Work Permit) muito provavelmente você se qualifica para ter o seguro saúde canadense. Fique atento pois cada província tem seu próprio seguro saúde então as regras que aplicam para uma determinada província não se aplicam para as outras. Aqui em British Columbia por exemplo, o seguro saúde público custa em média CA$ 60 por mês. Nesse caso, você viaja com seguro privado e, quando chega aqui pode fazer a requisição do plano de saúde público – que dá cobertura total, geralmente a mesma disponível para os canadenses e imigrantes.

29 de junho de 2014

Como tirar o visto canadense

Agora que estamos com passagens em mãos, a família começa a planejar as visitas. Pai, mãe, irmãs, todo mundo animado com a possibilidade de uma temporada no Canadá.

Mas para que essas visitas aconteçam, é necessário que todos tirem o visto canadense. O site Melhores Destinos preparou um passo a passo de como tirar o visto de turista:

"O visto canadense é necessário para todos os brasileiros que desejam visitar o país e deve ser solicitado com uma antecedência mínima de seis semanas. A primeira diferença com relação ao visto americano, com o qual estamos mais habituados, é que a duração é bem menor: geralmente de seis meses apenas. O processo de emissão é bastante simples e a taxa de rejeição é bem pequena – menos de 5% dos pedidos de visto são negados. "

Para saber mais, clique na imagem abaixo




Viagem com data marcada!


Nossa viagem já tem data marcada!
Na primeira semana de setembro começa uma nova fase de nossa vida, o tão esperado dia, nosso recomeço.

Optamos por comprar passagens que evitassem conexões nos EUA. Pensando que somos em quatro pessoas, teríamos que tirar vistos de trânsito americano, o que aumentaria nosso custo em US$640 (4x US$160) aproximadamente R$1500!

Sendo assim, tinhamos Air Canada ou Copa Airlines como opções. Seguindo a lógica do menor custo, escolhemos a Copa Air.: 3 passagens só de ida, e uma ida e volta [o marido terá que voltar para resolver coisas na empresa].

Agora começa a sensação de frio no estômago!

O Mundo Segundo os Brasileiros - Toronto


"O Mundo Segundo os Brasileiros" é uma série que percorre os principais roteiros turísticos do mundo, lugares muitas vezes longínquos, pouco explorados e repletos de descobertas e contrastes. África, Ásia, Oceania, Europa e Américas: a cada destino uma nova aventura, narrada por personagens reais em tom documental e quase autobiográfico.

A cada novo episódio, as várias facetas de uma mesma cidade, com dicas, roteiros, histórias e revelações emocionantes.

Abaixo, o episódio da cidade de Toronto, ON.


26 de junho de 2014

As primeiras duas semanas no Canadá

Neste vídeo você encontrará informações que te ajudarão nas primeiras duas semanas de sua nova vida no Canadá. Ele foi preparado pelo CIC com os primeiros passos para que sua chegada seja bem sucedida.

A chegada no aeroporto, encontrar ajuda no serviço de apoio aos imigrante, solicitar documentos ao governo, abrir conta num banco canadense e mais, são tópicos deste vídeo.

Para mais informações sobre como começar sua vida no Canadá, visite http://www.immigration.gc.ca/settlement

Legendas em Inglês disponíveis


25 de junho de 2014

Preparando procuração de plenos poderes


Tendo em vista a mudança definitiva para outro país, é recomendável a utilização de uma procuração a uma pessoa de confiança concedendo a ela plenos poderes.

Esse documento permitirá que, entre outras coisas, que seu representante possa fazer os seguintes atos em seu nome:
  • gerir contas bancárias; 
  • administrar bem imóvel (aluguéis, compra e venda);
  • expedir documentos em Órgãos Públicos;
  • efetuar a sua representação em procedimentos judiciais; 
Basta escolher uma pessoa de confiança (geralmente cônjuge, pais, filhos ou irmãos) e procurar um Cartório de Registro de Notas e solicitarem a elaboração deste documento. A procuração será redigida por um Oficial do Cartório e ficará arquivada no Órgão Público para todos os efeitos.


Modelo de Procuração de Plenos Poderes:

OUTORGANTE: (Nome do Outorgante), (Nacionalidade), (Estado Civil), (Profissão), Carteira de Identidade nº (xxx), C.P.F. nº (xxx), residente e domiciliado na Rua (xxx), nº (xxx), bairro (xxx), Cep (xxx), Cidade (xxx), no Estado (xxx).

OUTORGADO: (Nome do Outorgado), (Nacionalidade), (Estado Civil), (Profissão), Carteira de Identidade nº (xxx), C.P.F. nº (xxx), residente e domiciliado na Rua (xxx), nº (xxx), bairro (xxx), Cep (xxx), Cidade (xxx), no Estado (xxx).

Através do presente instrumento particular de mandato, o OUTORGANTE nomeia e constitui como seu procurador o OUTORGADO, concedendo-lhe plenos poderes. Poderá o OUTORGADO, para tanto, administrar bem imóvel (aluguéis, compra e venda), defender interesses trabalhistas, movimentação de contas em banco, promover saque do FGTS, receber benefícios de aposentadoria representação de sociedade comercial, receber crédito em repartições públicas, representar perante inss, realizar a venda de bens móveis, efetuar a retirada de medicamentos junto aos postos de distribuição do SUS; autorizar a prestação de toda assistência médica e hospitalar, que implique em autorização do OUTORGANTE; assinar, requerer, juntar e retirar documentos, certidões, formulários, requerimentos e guias, além de pagar as devidas taxas; constituir advogado com poderes da cláusula "ad judicia", com os mais amplos poderes em qualquer juízo, instância ou tribunal, para defender os interesses do menor; receber citação; acordar, concordar, transigir e desistir; podendo assinar quaisquer papéis, prestar declarações; enfim, praticar, promover, requerer e assinar tudo o que se fizer necessário ao fiel cumprimento deste mandato.

(Local, data e ano)

(Nome e assinatura do Outorgante)

(Nome e assinatura do Outorgado)

23 de junho de 2014

Check-list o que fazer antes de embarar


Para me organizar melhor e não deixar nada para trás, preparei uma check-list de todas as coisas a resolver antes de embarcar.
  1. Comprar passagens
  2. Contratar seguro de saúde para os três primeiros meses
  3. Providenciar todos os documentos da faculdade (diploma, resumo descritivo das disciplinas, carimbados e assinados)
  4. Atualizar o currúculo/LinkedIn
  5. Traduzir cartas de referência
  6. Verificar declaração de imposto de renda
  7. Preparar procurações de ambos poderes em cartório
  8. Tirar cópias autenticadas dos documentos mais importantes
  9. Fazer tradução juramentada da carteira de trabalho
  10. Fechar contas bancárias
  11. Fazer check-up médico e odontológico
  12. Solicitar ao médico receita médica (em inglês, se possível) para um ano de anti-concepcionais
  13. Verificar vacinas - transferir-las para um certificado internacional
  14. Pesquisar aluguel
  15. Desfazer de objetos que não levará
  16. Preparar documentos escolares dos filhos
  17. Separar dossier médico
  18. Verificar como levar dinheiro
A Mandy, do Mandy e Mais preparou um vídeo bem completo sobre esses preparativos. Vale a pena anotar as dicas que ela compartilha.


19 de junho de 2014

O que saber antes de se mudar para o Canada?

Está chegando o momento aguardado a tanto tempo, nossa mudança. Mas antes, é importante que tenhamos todas as informações necessárias: como será nossa recepção, documentos a trazer, a traduzir, onde nos dirigir ao chegar, quais documentos solicitar, como alugar um apartamento, como matricular as crianças numa escola, etc.

Existe uma ferramenta para ajudar os novos imigrantes nesse momento de planejamento, o Living in Canada. Respondendo algumas questões, seu perfil é criado, contendo diversas informações para o começo da vida no Canadá.

Aqui colocarei alguns pontos iniciais para quem possui a Residência Permanente. (Se você está indo para o Canadá com outro perfil, utilize o questionário do Living in Canada para informações mais precisas)

Chegando no Canadá
Você pode se preparar para sua chegada no Canadá tendo certeza que conhece todos os passos envolvidos, e que possui todos os documentos necessários que você e sua família precisam.
Na chegada você precisará apresentar: um visto canadense, a confirmação de sua residência permanente, e um passaporte válido, para você e cada membro da sua família viajando com você.

Você também precisará apresentar duas cópias de uma lista detalhada com todos os itens que estiver levando com você, e duas cópias de uma lista de itens que chegarão depois e seus respectivos valores.


As primeiras semanas no Canadá
Seguem alguns passos importantes a serem feitos nas primeiras semanas para começar sua vida no Canadá:

  • Use o mecanismos de busca para encontrar organizações de ajuda aos imigrantes de sua comunidade. Eles podem te ajudar em muitos passos de seu plano de acomodação, incluindo cursos de idioma e busca por emprego.
  • Peça sua identificação canadense com foto, como carteira de motorista, o qual deverá carregar com você sempre.
  • Peça o Cartão de Número Social (SIN), um cartão com noves dígitos numéricos que precisará para encontrar emprego no Canadá ou para ter acesso aos programas e benefícios do governo.
  • Peça seu cartão de seguro público de saúde. Em Ontário, esse cartao é chamado de Health Card. Seu visto de trabalho ou estudo deve ser válido por no mínimo seis meses para poder solicitar um health card.
  • Se você não receber por correio dentro de seis meses de sua chegada, peça um cartão de residência permanente. Esse é um importante documento de viagem e que comprova seu status de residência permanente.
  • Alugue ou compre uma casa ou explore outras opções de moradia.
  • Abra uma conta em um banco canadense e peça um cartão de crédito para que possa começar a estabelecer seu histórico de crédito no Canadá. Isso facilitará para você conseguir um empréstimo ou financiamento no Canadá.
  • Troque seu dinheiro por dolares canadenses.
  • Consiga um mapa de sua área e saiba mais sobre o transporte público.
  • Contate uma escola ou conselho escolar para matricular seus filhos.

15 de junho de 2014

Coisas a saber antes de estudar ou trabalhar no Canadá

Sistema de imigração canadense se deteriora lentamente, uma revolução silenciosa

por 

[ARTIGO TRADUZIDO - THE STAR] Ottawa vem realizando transformações significativas na política de imigração canadense, discretamente, como se estas mudanças não tivessem relação alguma com o tipo de sociedade que os canadenses desejam construir para o futuro.
Os canadenses estão preocupados, mais especificamente, com os recentes escândalos envolvendo o programa de trabalhadores estrangeiros temporários. Mas não vamos nos enganar: este programa e sua má gestão representam apenas parte desta grande e dissimulada reforma de um sistema que poderia precisar de ajustes, ou talvez não.
Pesquisadores da Universidade Ryerson, em parceria com o prestigiado Migration Policy Group, estão atualizando o Índice de Eficácia das Políticas de Migração (MIPEX) para o Canadá. Este índice compara e classifica países com base na eficácia de suas políticas de imigração e, nesta classificação, o Canadá chegou a estar entre os três primeiros colocados em 2011. No entanto, a equipe da Ryerson ficou chocada com suas descobertas sobre o que vem acontecendo desde então.
As políticas de imigração canadense, que um dia quebraram paradigmas, vêm sendo transformadas em um sistema que atende primordialmente aos empregadores, tratando os imigrantes não como futuros cidadãos ou membros das comunidades e famílias canadenses, mas sim como mão de obra barata ou conveniente. Esta é uma diferença marcante em relacao à política anterior.
Após a Lei de Imigração de 1967, o Canadá começou a selecionar seus imigrantes com base em características como educação, experiência profissional e proficiência em inglês ou francês. O sistema de pontos permitia um processo de seleção transparente, superando o racismo que até então dominava o sistema. Com uma combinação de pragmatismo e equidade, esse sistema ganhou o respeito de outros países e, mais do que isso, alguns destes estão inclusive considerando-o como um modelo para suas próprias políticas de imigração.
Se o governo continuar no caminho atual, em 2015 o sistema de pontos já terá desaparecido completamente do processo de imigração canadense e terá sido substituído pelo Express Entry, que é essencialmente um banco de empregos a serviço do governo e da indústria. A função deste banco é associar os imigrantes potenciais aos empregadores que buscam trabalhadores. De acordo com o órgão Citizenship and Immigration Canada, o novo programa permitirá a seleção dos “melhores candidatos… ao invés de escolher os primeiros da fila”. Ironicamente, este mesmo governo acusa os imigrantes refugiados de serem “fura-filas” e recusa receber as pessoas que mais necessitam da proteção do Canadá.
Nunca se viu um pragmatismo tão explícito desde a Lei Railway de 1925, que deu a duas companhias ferroviárias canadenses um poder praticamente total sobre o processo de imigração. Esse triunfo do pragmatismo, que está prestes a completar cem anos, permitiu ao Canadá admitir pessoas e deixá-las ficar aqui somente enquanto o país precisava de sua força de trabalho. Como se não bastasse tanta “generosidade” nas boas-vindas, o governo criou práticas como o infame Chinese Head Tax, imposto que praticamente impedia os trabalhadores chineses de se reunirem com seus cônjuges e filhos.
Em 1967, a Lei de Imigração do Canadá enfatizou a importância da família, garantindo que os imigrantes pudessem patrocinar a vinda de seus cônjuges, filhos, dependentes, pais e avós. Este ponto central do processo agora está sob ameaça. Atualmente, o Canadá define os filhos menores de 22 anos como dependentes, mas o governo planeja alterar o limite de idade para 19.
Em 2012, o governo estabeleceu uma exigência de dois anos de residência para que os imigrantes pudessem pedir para patrocinar a vinda de pais e avós como residentes. Embora esta exigência tenha sido eliminada no início deste ano, um novo sistema, radicalmente diferente, exige agora uma renda mínima 30% superior para as famílias que desejem patrocinar a imigração de outras pessoas. Se antes os patrocinadores eram obrigados a se responsabilizar pelos membros da família durante 10 anos, a nova exigência é de 20 anos. Além disso, o novo limite de familiares patrocinados no país é de 5.000 por ano.
O governo conservador não só tornou mais difícil a entrada dos imigrantes no Canadá, mas também a sua permanência e a aquisição da cidadania. A propostaCitizenship Bill C -24, atualmente no Parlamento, aumenta o tempo de residência requerido para a cidadania de três para quatro anos; triplica a taxa de pedido de cidadania; retira o direito do imigrante de recorrer em caso de uma decisão negativa; revoga a cidadania de pessoas naturalizadas se algum funcionário do governo acreditar que o indivíduo nunca teve a intenção de viver no Canadá; e pode ainda revogar a cidadania caso a pessoa seja condenada por determinados crimes, mesmo que tal condenação tenha ocorrido fora do Canadá. O jornalista Oakland Ross, do The Star, comentou recentemente que estas últimas modificações “muito provavelmente impediriam Nelson Mandela de obter a residência” no Canadá.
A implementação de mudanças radicais na política de imigração, que tanto interferem na identidade do Canadá, deveriam exigir um debate nacional amplo e transparente. Será que os canadenses realmente querem que o pragmatismo tenha supremacia absoluta sobre as considerações éticas na política de imigração? Será que a contribuição econômica deve se tornar o único critério para a seleção de imigrantes? Por que o Canadá deseja dificultar o processo para que os imigrantes se tornem cidadãos? Infelizmente, este debate – tirando a discussão atual sobre os trabalhadores estrangeiros temporários e sobre a recusa de acesso à saúde pública para os refugiados – não está ocorrendo.
No lugar de um debate, os canadenses estão sendo surpreendidos com uma verdadeira revolução em seu sistema de imigração: um acúmulo de supostas “melhorias” aparentemente inofensivas que são camufladas através de projetos de lei e procedimentos oficiais de pouca pertinência,como se elas não tivessem ligação alguma com a ética, a justiça e o tipo de sociedade que os canadenses querem construir para o futuro.

Os canadenses provavelmente não vão notar que essa revolução está acontecendo até que os futuros resultados do MIPEX indiquem que a eficácia do processo de imigração do Canadá, quando comparada à de outros países, vem caindo de posição na lista –e caindo lá pra baixo.
Fonte: Site OiToronto.ca