22 de julho de 2010

Vamos pra onde agora?

Sherbrooke era nosso destino até a pouco tempo. Mas na realidade não fomos nós que escolhemos Sherbrooke. Essa falta de opção veio junto com a opção pela Bishop's University, quando ainda pensávamos em ir com a minha bolsa. Como o plano mudou, e não vou mais estudar na Bishop's [buáááhhh], não precisamos mais ir necessariamente para Sherbrooke.

A cidade é linda, e tem muitos brasileiros. Inclusive, aqueles com quem tive contato são muito legais e prestativos. Mas todos que estão lá, ou quase todos, escolheram a cidade justamente pelas universidades. Existe um forte boato de que Sherbrooke não tem muitas vagas de emprego. Se é verdade ou não, não sei. Sei que essa idéia é muito relativa, já que não está claro de que área estamos nos referindo.

Bom, Sherbrooke ainda poderá ser um destino para nós, ainda não nos decidimos. Mas estamos pensando em outras regiões mais promissoras.

Monteregie é uma região onde ouvimos falar por conta das ofertas de emprego. Não aprofundei minhas buscas sobre essa região, mas procurarei saber mais. Está na nossa lista de possíveis destinos.

Montreal também entra na nossa lista. Na verdade, não penso muito em Montreal. O Leonardo sim, acha ser uma cidade interessante para recém chegados. Não sei, acredito que existem cidades com mais vantagens (a meu ver) que Montreal.

Gatineau. Eis a cidade que tem mais me chamado a atenção ultimamente. E não é por causa da Pati! [rs] Mas sim por estar a uma ponte de Ontario. Pensar na idéia de poder trabalhar em inglês no Canadá não me assusta. Agora trabalhar em francês... ui! Seria muito reconfortante poder estar no Quebec, podendo aprender a língua com o cotidiano, contar com o apoio do governo quebecois e saber que se não conseguir emprego por estar com o francês muito fraco poderemos procurar emprego em Ottawa e voltar para jantar.

Eu gosto muito do francês, aprendo a língua me divertindo. Tenho certeza que não terei problemas de viver no Quebec e falar só o francês. Essa preocupação que me referi acima é principalmente para meu marido  que não é muito entusiasmado com o francês. Mas estar do lado de Ottawa tem outra vantagem para ele, que quer trabalhar na construção. Temos um amigo na construção que mora em Ottawa. Isso facilitaria o primeiro passo. Também é bom por ser uma cidade grande, com muitas vagas nesse ramo.

Gatineau supriria as minhas necessidades, de viver numa cidade verde, tranquila, onde posso criar meu filho com qualidade de vida. E Ottawa supriria as necessidades de meu marido, dando mais segurança por ter mais ofertas de emprego, conhecidos no ramo, e um idioma que não o assusta.

Bom, estou estudando todos os destinos da nossa lista. Precisamos levar em conta muita coisa. Por isso precisará ser uma decisão feita por nós dois. Tenho certeza que faremos a escolha certa.
Categories: ,

3 comentários:

Diário Canada Brasil disse...

Já pensou em Ville de Quebec, St-Foy?
Pensamos neste lugar por enquanto e para quem quer estudar é uma boa.
Sem falar que é muuuuito lindo.

Patinha. disse...

Olá, minha 1ª vez no seu blog... vou dar minha opinião, de enxerida que sou! conheço Gatineau e Ottawa, tenho amiga morando lá e acho a idéia muito boa de unir o útil ao agradável sem com isso sair do Quebec,pelo menos num 1º momento.

Também pensamos em Ottawa algumas vezes e confesso que ainda de vez em quando!

Boa sorte pra vcs na escolha certa! Ps: as 2 cidades são lindas!!

Patitando disse...

Olá... Acabamos de chegar aqui, mas preciso dizer que ter o inglês do lado é muito reconfortante. Usamos o fancês sempre que necessário, mas é muito bom saber que se não estou segura no francês, o inglês salva, mesmo aqui em Gatineau. A cidade é pequena em número de habitantes, mas bem espalhada. Ottawa já é bem grande e tem todas as facilidades que podemos não encontrar aqui. O inconveniente é o sistema de saúde, mas estou disposta a cruzar a ponte e pedir o reembolso se for o caso. Quando for a época de escolherem a cidade, podemos conversar melhor e te dou as informações que precisarem.

Abraço!
Pati