5 de agosto de 2010

Situação invertida

Você já se perguntou sobre como deve ser aqueles que recebem os imigrantes? Tentar ajudá-los, ou pelo menos tentar entender o que eles falam, pensar em quais empregos eles poderiam trabalhar com o pouco do idioma que eles falam?

Me encontro numa situação dessa. Mas a imigrante não sou eu!

Estou trabalhando com uma americana que veio como o marido para o Brasil, e nenhum deles fala português. Nunca tinha percebido o tamanho do pepino problema que é ter que procurar emprego, assinar a tv a cabo, pensar em plano de saúde, entre outras coisas, não sabendo o mínimo do idioma do lugar onde você está morando. Nem em balcões de informação turistica e escolas de inglês eles conseguiram achar alguma ajuda!!! E é inglês, não outro idioma!

O marido dessa minha amiga quer procurar um emprego aqui, mas o que ele pode fazer se não sabe nenhum "A" de português? Dar aulas de ingles? Como eu disse, até isso fica difícil de conseguir já que nem a recepcionista da escola de idioma entende o que você fala.

Outro problema é a locomoção. Eles só andaram de onibus depois de 2 semanas que estavam aqui, e só entraram no ônibus porque eu estava de guia. Soa como bobos, mas sair sem saber se comunicar é um risco muito grande! Imagina se eles pegam um ônibus errado e vão parar nos cafundós do Juda? Pra quem eles vão pedir socorro?

Mas o que tem isso a ver com o Canadá? Acho que está bem claro: a importância de conhecer o idioma. Quando somos os nativos acabamos por fazer perguntas do tipo:  "O que esse cara veio fazer aqui se não fala meu idioma? E ainda quer trabalhar?! Porque não pensou nisso antes? Só doido pra fazer isso!".

Já ouvi bastante a conversa, meu francês é o suficiente para me virar. Ou "deixa comigo, eu dou um jeito", "lá a gente acaba aprendendo mais rápido"... e outras na mesma linha. Vamos parar um pouco e ser realistas, não tem como escapar: você quer trabalhar num país, precisa falar a língua dele.

O que queremos com a imigração não é aventura, mas sim fazer parte de uma sociedade mais organizada, onde podemos participar ativamente.

Você acha que seu francês (e/ou inglês) é o suficiente?
Categories:

2 comentários:

Diário Canada Brasil disse...

Sim, amiga concordo contigo, tbm já ouvi falar muito "basta 150h de francês e só se aprende por lá mesmo."

É bem verdade que lá vc aprende mais rápido pq o contato com lingua é maior e diário, mas prefiro me empenhar por aqui para não sofrer tanto assim com idioma.

Jorge disse...

Olha, é por isso que eu digo (até comentei disso no meu blog ante ontem), o melhor investimento que um imigrante pode fazer é aprender o máximo do idioma do país de destino, no nosso caso o francês, antes mesmo de sair do seu país de origem. Isso ajuda na procura de trabalho, resolver documentações, fazer amigos, etc...

Agora tem um agravante de alguém que não fala português no Brasil. Se o cara se perder pode cair num lugar de risco, tipo favela, sem contar que muita gente pode querer tirar proveito por ser gringo.

Abraço!!

Jorge Uvo
http://uvosnumafria.blogspot.com/